2803272 Nº Visitas

A importância do uso de multímetros com a função TRUE-RMS nas medições com inversores de onda modificada

Como já falamos em textos anteriores, os inversores de onda senoidal modificada são muito utilizados nos sistemas de energia solar fotovoltaicos off-grid (isolados da rede), de pequeno porte, uma vez que ele atende a maior parte dos equipamentos.

 Uma reclamação muito comum dos nossos clientes que vão testar estes sistemas, especificamente nos testes dos inversores, é ter uma leitura de tensão medida  diferente do descrito pelo fabricante na saída CA (Corrente Alternada), por este motivo resolvemos fazer este texto para esclarecer esta questão.

Primeiramente vamos relembrar a diferença entre onda senoidal pura e onda modificada:

Formato-de-Ondas.png

A forma de onda é uma representação gráfica que demonstra a forma com que a energia evolui ao longo do tempo, com suas variações nos valores de tensão. A onda de energia que é transmitida pela rede elétrica, provida pela concessionária de seu Estado, é senoidal. Ou seja, é uma onda pura e harmônica.

Este tipo de inversor atende qualquer aparelho CA  (motores, geladeiras, televisores), dentro da sua faixa de potência, enquanto que os inversores de onda senoidal modificada , apesar de ter uma melhor relação custo benefício, não conseguem alimentar todo o tipo de carga em corrente alternada, devendo ser analisado o tipo de aplicação.

Em termos de leitura de tensão de pico, qual é a diferença?

Os multímetros convencionais possuem a função RMS, ou resposta rápida - RMS significa Root Mean Square, ou, traduzindo, Raiz Média Quadrada. Esse termo vem da expressão matemática do valor eficaz, usada para fazer o calculo da potencia média dissipada, ela serve para, a partir de uma tensão alternada, descobrir o valor de uma tensão continua que dissiparia a mesma potência dessa tensão alternada. Isso quer dizer, que, quando falamos que uma tomada tem 220 volts, esse é o valor RMS, mas na verdade a tensão de pico, que é o valor máximo que a onda atinge no eixo Y, é muito maior. Veja um gráfico mostrando o RMS em uma onda:

athos-electronics.jpg

Um multímetro comum, ao receber um sinal, retifica e tira uma espécie de média. É essa média que chega aproximadamente no valor RMS de uma onda senoidal. Somente uma onda senoidal sem deformações é lida corretamente por um multímetro comum, mas preste bem atenção, somente para senoides perfeitas. Se tentarmos usar isso em qualquer outro tipo de onda, o cálculo não vai fechar.

 

A função True- RMS (RMS verdadeiro), em que o multímetro vai fazendo uma espécie de mapeamento na onda, que ele marca pontos que significam o valor da onda naquele determinado instante, assim, obtemos um valor RMS muito mais preciso, e que funciona em qualquer tipo de onda.

TRUE-RMS-ONDA.png

 

Assim, para sistemas de energia solar fotovoltaica aonde o uso de inversores com onda modificada é comum, para não haver distorções na leitura da tensão de saída do inversor e pleito / reclamação de garantia do equipamento sem necessidade, a recomendação é usar um multímetro com função TRUE-RMS.

Esperamos ter esclarecido esta dúvida e fiquem atentos aos nossos próximos posts.

Mais uma vez é a Solar Brasil  ajudando você a transformar a Luz do sol em eletricidade.

 

 

Alessandra Berto

 

 

Fonte de pesquisa: https://athoselectronics.com/true-rms/

 

fale com a solar

Agência Next4 criação de sites