Skip links

Google monitora emissão de carbono em cidades brasileiras

Recentemente, quatro capitais brasileiras foram incluídas na Environmental Insights Explorer (EIE), a nova ferramenta do Google que irá monitorar a emissão de carbono em cidades do mundo. As informações sobre São Paulo, Porto Alegre, Curitiba e Belo Horizonte já podem ser consultadas na plataforma.

A EIE permite que se estime a emissão de carbono de prédios comerciais e residenciais das cidade. Para fazê-lo, utiliza imagens de satélite para identificar a quantidade de prédios, além da forma e tamanho, definindo uma estimativa aproximada do consumo elétrico. Além disso, a ferramenta também calcula a emissão em transportes (particulares e públicos) dentro dos limites da cidade, baseada nas informações de geolocalização de usuários em outras ferramentas da empresa.

A nova plataforma, além de diagnosticar a contribuição para a emissão de gases do efeito estufa na atmosfera, também mede o potencial de energia solar das cidades. A inteligência artificial cruza diversos dados com o projeto Google Sunroof (ainda não disponível no Brasil), como os padrões climáticos da região, os formatos das construções das cidades e outras informações. Assim consegue calcular quanto poderia ser gerado em energia elétrica fotovoltaica na cidade e quanto carbono poderia deixar de ser emitido.

A cidade de São Paulo, por exemplo, possui um potencial de parar de emitir 1.020.000 toneladas de CO2 por ano. Isso equivale à emissão de 216.000 carros por um ano ou 26.200.000 de novas árvores crescendo por 10 anos. Para atingir esse resultado, 54% dos prédios deveriam utilizar energia solar na cidade — são considerados apenas prédios em que seja possível a instalação de painéis solares. 

Nesse cálculo é considerado que os painéis solares receberiam 75% da irradiação solar média da cidade. A EIE calcula que a cidade tem um potencial de gerar 10.400.000 MWh por ano e que 71% dos telhados (919.000, precisamente) são aptos para receber instalações solares.

A plataforma também consegue fazer previsões climáticas, como de temperatura e de precipitação, para os próximos 20 anos, caso as emissões continuem no mesmo ritmo de hoje.

A EIE já conta com 35 países espalhados por Ásia, Europa, Oceania e Américas. Antes das capitais brasileiras, a plataforma já monitorava outras cidades da América Latina, como Buenos Aires (Argentina) e Guadalajara (México).

Para consultar a plataforma, basta acessar o site e digitar o nome da cidade a respeito da qual deseja saber mais informações. Os dados neste momento estão disponíveis apenas em inglês.

A importância das cidades para o controle da emissão de CO2

A nova plataforma é uma parceria do Google com o Global Covenant of Mayors (Pacto Global de Prefeitos), comunidade de gestores públicos municipais de todo mundo. Essa comunidade tem suas próprias metas de redução de emissão de carbono e oferece a possibilidade de prefeitos se reunirem, trocarem informações e estabelecerem compromissos para as cidades que administram. 

Iniciativas como essa permitem que a sociedade e governantes possuam dados embasados de maneira acessível para tomar decisões ou pressionar os responsáveis por elas. Em tempos em que há uma preocupação ambiental global por conta de mudanças climáticas, informações como essas permitem que possamos nos mobilizar como um todo, ao invés de depender de iniciativas pontuais. 

Baixe nossa cartilha sobre energia solar